12/06/2007

Grávida no coração

Descobri numa biblioteca escolar este livrinho cheio de pó, com uma história fantástica...
Tenho mesmo que dividi-la com vocês...«- Mãe, gostas de mim?
- Gosto de ti até ao céu, meu filho.
- Mãe, se tivesse estado na tua barriga, gostavas mais de mim?
- Não, meu filho, porque haveria de gostar? Tu estiveste dentro de mim, no meu pensamento e no meu coração. O meu desejo de te ter, de te pegar, de ver o teu rosto era tão grande como a barriga de grávida.

- Mãe, então tu dizes que gostas tanto de mim, teu filho adoptivo, como do meu irmão, que é teu filho biológico!

- Claro que sim. Quando estava á espera do teu irmão sentia-me muito feliz, porque ia ter um filho; não porque a minha barriga estava a crescer.

- Há muitas maneiras de ter filhos: na barriga no coração...

– Mãe, grávida no coração? O coração não tem filhos!

- Tem filhos sim, e foi lá que tu nasceste, é lá que estás a crescer e é onde vais ficar. Para qualquer lado aonde vá, levo-te sempre no meu coração.

- Ah! Então é mais importante o coração de uma Mãe do que a barriga!

- Claro, meu filho. Mãe é aquela que chora quando estás doente, que te pega ao colo mesmo quando lhe doem as costas e que te da um beijo de boa-noite. Mãe é aquela que te ama, a que está aqui e no fim do mundo, se precisares. O pai não engravida, no entanto ama os filhos desde o primeiro momento, e para sempre.

– Pai, mas eu não sou parecido contigo!

– És parecido comigo, sim! Tens o meu nome e és um bocadinho daquilo que eu sou, daquilo que eu gosto, daquilo em que eu acredito e que respeito. Até falas como eu!

– Pai, e os genes?

– Se um dia quiseres ser músico, atleta ou escultor, cantaremos juntos, faremos corridas na praia com os teus irmãos e até encheremos a casa com barro.Tu não precisas saber quais os teus genes.Precisamos é de estar juntos para os descobrir.

- Mãe, e a minha história?A tua história és tu quem a vai fazer. A tua história somos nós, tu, eu e o teu pai, os teus irmãos, avós, primos, tios, todos os que estão aqui ao teu lado, orgulhosos, a ver-te a crescer lindo e feliz.

- Mãe, porque me adoptaste?

- Porque queria ser mãe!

- Então és tu a minha verdadeira mãe! »

(Grávida no Coração; Paula Pinto da Silva; Editora Campo das Letras; Colecção Palmo e Meio)

15 comentários:

Gioconda disse...

Que linda história... e que verdadeira ela pode ser, e o meu marido que o diga que tem dois filhos que não são dele mas que ele ama do fundo do coração tanto como as outras duas que são.

Joana disse...

Linda linda linda!!! Sem duvida que mãe n é só aquela que dá á luz, é aquela que ama.
Beijinhos grandes

Pensamentos Felizes disse...

Mãe não é quem pare é quem cria...
De uma beleza única este texto :)
beijos
Cris

gaiatA disse...

Linda história :)
Não se é mãe só quando se tem um filho, mas também quando o educam0s, criam0s e amam0s.

beijinho en0rme*

Vida Envolvida disse...

A história é linda e muito real e talvez por continuar a gerar os meus filhos no coração é que hoje estou triste!

Bjs

Susana P.

Nuvem disse...

Olá querida Fénix...

Também eu vim retribuir a visita que fizeste ao meu cantinho... acabei encantada com o teu blog. Adorei a história... as historinhas... Vou linkar-te para te vir visitar muuuuuuitas vezes!

Beijinhos da Nuvem
www.oceueazul.blogs.sapo.pt

Isa disse...

Comovente!!!

Sem palavras e com uma lágrima no cantinho dos olhos!!!

Isa

Quicocas disse...

Uma história muito bonita e muito verdadeira! Pais não são aqueles que concebem mas sim aqueles que criam, cuidam e protegem!
Beijinhos e bom fim-de-semana!!!

Eu disse...

Gostei da tua história, se me deres autorização espero voltar.
Em certos aspectos, revejo-me em ti.

Fica bem.

mimika disse...

Lindo, lindo! Um texto que me toca particularmente, porque tenho a firme intenção de adoptar! Tinha esta vontade antes de ter a minha filha e ela permanece...
Grávida no coração...o amor constrói-se, cimenta-se, aduba-se ao longo da vida. Mãe é aquela que está lá, sempre!

Beijinhos

Noquinhas disse...

Uma história linda. :)

)0( disse...

Grávida no coração... que bonito! :)

Beijos

Gabriela disse...

Não conhecia o livro, mas vou lê-lo de certeza!
As respostas dadas pelos pais são de uma sabedoria e uma sensibilidade incríveis.
Adorei e fez-me voltar a pensar que tenho adiado um projecto de vida tão importante para mim, a adoptação.
Beijocas
Gabriela

María&Peste disse...

Lindo texto!! Adorava adoptar, sempre achei que iria adoptar uma criança, mas está a ser dificil convencer o marido...Bjnhos

Lisa_pt + Gil disse...

Adorei a história!
Muito simples e bonita!

Joquinhas gds